segunda-feira, 5 de agosto de 2013

A frustração com o resultado da bioimpedância

Olá gente, existe algumas coisas que eu preciso dividir com vocês que me acompanham e torcem pela minha luta contra o peso.

A 20 dias atrás comentei que busquei ajuda de uma nutricionista pra me ajudar na fase final da perda de peso. Na consulta ela montou um cardápio especificamente para meu tipo de treino, e meus objetivos.

Foi uma longa conversa onde contei sobre toda a minha rotina de treinos que é corrida na rua 4 vezes por semana + musculação 5 vezes na semana e sobre o projeto dos 16km, etc.

As principais mudanças foram:
✔ Nada de lactose
✔ Nada de café
✔ Nada de doce
✔ Nada carboidratos complexos e simples.
✔ Muita proteína, inclusive passou o consumo de alimentos preparados com WHEY PROTEIN ISOLADA. Ex: Panqueca Proteica
✔ Consumo de alimentos termogênicos como chá de gengibre, frutas com canela ou frutas com farelo de aveia.
Todo o carboidrato ingerido é através das raízes como Aipim, inhame ou batata doce.
O meu almoço é muito verde, grão de bico ou lentilha e proteína grelhada.
No jantar tem umas receitinhas proteicas também, nada de carboidrato.
Ficar sem o café da manhã com meu pãozinho integral+ café com leite desnatado foi o mais difícil. Hoje sobrevivo numa boa.
Só posso comer carboidrato integral ou simples véspera e dia de corrida.
Na primeira semana fiquei sem energia, mas depois que segui a arrisca as sugestões isso passou.

Solicitou que fizesse a bioimpedância e me pediu pra retornar em 3 semanas pra ver o resultado da BIA e ter um feedback das três semanas da dieta.

Bioimpedância é um exame que mede a composição corporal, te dá o percentual de massa magra, de gordura do seu corpo, etc.

Realizei o exame na última quarta-feira(31/07), o processo é bem simples, subi numa balança, segurei um sensor, a máquina solicita idade, altura e o peso automaticamente é medido, e dai a máquina sai mapeando e um relatório é impresso na hora.

De posse do resultado, fui pra academia e pedi pros meus três professores analisarem minha bioimpedância.

Confesso que fui pra consulta com a Nutricionista apavorada, arrasada, preocupada com a minha porcentagem de gordura. Depois de 17 meses de tanto esforço, me deparar com um resultado daquele me fez pensar, no que é que estou errando.

De qualquer forma iria alinhar com a nutri e ela me indicaria o melhor caminho a seguir. Chego pra consulta, não teve consulta, cancelaram todas as consultas do dia e esqueceram de me ligar. Pense numa pessoa frustrada.

Vamos ao resultado da BIA, olhem ai...


44.7% de gordura corporal é muito. Quando cheguei em casa troquei de roupa e fui pra esteira da academia do condomínio...corri 10km, nunca correr na esteira foi desabafador, me endorfinar depois de tanta frustração num dia só. Confesso que na hora que fiquei sozinha, comecei a chorar, entrou uma pessoa pra correr e perguntou se estava tudo bem e cada vez eu amentava mais a velocidade da esteira.

Pensei em desistir, ficar no peso atual e pronto. Depois lembrei da frase “Quando você pensar em desistir, LEMBRE-SE DOS MOTIVOS QUE TE FIZERAM AGUENTAR ATÉ AGORA”.

Terminei o treino, tomei um banho e desabafei com a turma do projeto carcaráFFF que participo no Facebook. AQUI já falei do grupo. Cada um tentava levantar meu astral, mandei um e-mail pro coach com o resultado, ele me acalmou...”Cassinha, totalmente reversível esse resultado, continue focada no trio que dá certo: alimentação balanceada, treino e descanso”.

Comecei analisar os números, resgatar a minha história com todo o processo, tudo que conquistei. O bom senso voltou e decidi transformar isso em motivação, quando alguém virar pra você e dizer que você está ótima que está ficando neurótica em pensar em perder mais peso, você lembra do seu manifesto...”DEIXA A GORDINHA EMAGRECER EM PAZ!” e complementa...eu tenho 44.7% de gordura corporal pra destruir.



Pra completar ligo hoje pra remarcar a consulta, recebo a notícia que a médica está se desligando da clínica. Ou seja, azar ao cubo. Sem Nutri? Pois é, seria, mas ter as pessoas certas na sua vida, faz toda diferença. Uma amiga conseguiu o contato de uma Nutri que atende pelo plano de saúde e já estou com a consulta marcada para o próximo dia 09/09.

Enquanto isso, nada de baixar a cabeça, não quero parar onde estou. Vamos fazer essa gordura baixar e aumentar massa magra!

Ao mesmo tempo que fico feliz com todo esse mundo que encontrei, estava cabisbaixa pelos cantos com tantas outras questões de vida nesses últimos 4 meses, que posso não ter dado o máximo na alimentação. A corrida e esse blog são a minha terapia, não posso cair num buraco, não posso desistir.

Depois do longão que fiz ontem. AQUI você fica sabendo de tudo, já sinto a mudança no meu psicológico. A vida me trouxe oportunidades que jamais imaginaria ter, e não posso deixar isso se desmanchar nas minhas mãos.
Acorda Cássia Santana, você é melhor do que 44.7% de gordura corporal. Por isso, estou aqui me comprometendo ao blog, a mim e a vocês, vou reverter isso. Vou concluir cada projeto que criei.

9 comentários:

  1. Pois é, guria, desencuca, não fica assim ... Beijo e boa semana.

    ResponderExcluir
  2. Càssia !

    Vc já disse tudo no post... Ponha em prática! Vc é uma vencedora, olha sua foto do antes e agora no alto a esquerda do blog! A gordurta corporal vc perderá gradativamente, é só continuar o que vc está fazendo, exercícios e reeducação alimentar... Não desanime! Jamais! Estamos aqui, para te dar força e apoiar... sempre!

    Abs

    Fábio
    www.42afrente@blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Cássia, levanta, sacode a poeria e dá a volta por cima.
    Você tem um comparativo desse teste antes de cmudar de vida?

    Com certeza, se tivesse como comparar você teria um baita sorriso no rosto. Todo número precisa de um referencial.
    Segue firme!

    Abraços

    Corridas do Luizz

    ResponderExcluir
  4. Menina, não desanime e isso tb vale pra mim! Qd entrei na academia há uns 5 anos atrás e tinha 27 de gordura... fui diminuindo até chegar em 22! Mês passado depois de 2 anos sem avaliação fui fazer e pra minha decepção: tinha voltado aos 27%! Mas como pode se não tenho o mesmo peso que tinha antes? Minhas roupas mudaram, tudo mudou... como pode??? Não sei... pode ser avaliação feita por profissional diferente... posso ter pecado um pouco na alimentação... não sei... agora é bola pra frente q temos mt gordura pra gastar na corrida né mesmo??? Bjooo e continua firme!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitas vezes vc perdeu massa magra e acabou ganhando massa gorda mantendo o peso...eu to ao contrario quero emagrecee e to pegando pesado na musculaçao...quando fui ver...ergordei 2kg porem de 21% de gordura passei pars 17%...oq engordei foi massa magra (musculos)

      Nao desanime...

      Excluir
  5. MEU DEUS... Sério que você ficou assim?? Como as pessoas são pobres de espírito mesmo.... Chegar a chorar por causa de um índice retardado desses?? Quanta criança passando fome no mundo, quantas doenças graves e horrendas existem por aí e você vem com esse mimimi? O mundo realmente está perdido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoa pobre de espírito é você, que despreza o sentimento e a tristeza do outro! Cada um tem suas tristezas e problemas, RESPEITE! Não importa se é o maior ou menor problema do mundo! Retardado é o ser que vc é, o mundo tá perdido mesmo enquanto existir gente que nem você, que ofende e magoa pessoas de graça

      Excluir
    2. Cara, uma coisa não se compara com a outra. Ela é mulher, encara as coisas de outra forma. Hoje em dia, é cruel o julgamento que fazem das mulheres por causa do seu corpo, não é fácil. E saúde vem em primeiro lugar! Muita gordura no corpo indica vários problemas, que não tem ainda, virá a ter se não cuidar. Então ela está certa em batalhar e lutar para se manter saudável, além da aparência. E isso foi só um desabafo, chorou por um momento, mas depois se motivou e ergueu a cabeça. Força aí Cássia.

      Excluir
  6. E ai, depois de 3 anos o exame de bioimpedancia mudou?

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, ele é muito importante pra mim.
Bjs.